terça-feira, 10 de agosto de 2010

ANDORINHAS E CEGONHAS, TOCA A REUNIR !!!

Hoje, 8 de Agosto de 2010, domingo, Portugal está debaixo de verdadeira canícula, acima dos 35 graus. Deveria ser a oportunidade para um relaxante repouso, acompanhado apenas dos relatos e reportagens das imensas festas populares e romarias que, por esta altura, se fazem pelo País inteiro.

Os noticiários, contudo, falam de factos dramáticos, num tom severo como se estivessem a relatar a terceira guerra mundial. Da Rússia ao Paquistão, passando pela Alemanha, Checoslováquia e Lituânia, há importantes forças terrestres e aéreas em acção contra incêndios e inundações de catastróficas dimensões. Na Rússia, há aldeias inteiras queimadas, com muitos mortos. E agora acaba de aparecer a notícia da destruição, pelo fogo, de uma fábrica de sofisticado armamento.

É a guerra global de um inimigo tentacular, desconhecido, só visível pelos danos trágicos que provoca.

O nosso País não foge a este cenário de catástrofe. Na última semana, houve uma média superior a 400 fogos diários. Num só dia, foram 451, quase todos a norte do Rio Mondego, precisamente a zona do País em que há mais desemprego. Estão a arder, nomeadamente, a Serra da Gralheira, em S. Pedro do Sul, o Parque Natural do Gerês, as serras de Tabuaço. Os meios terrestres e aéreos são elevados, mas não o suficiente para apagar a tempo esses inexplicáveis fogos que continuam a devastar as nossas florestas.

Há uma neblina a encobrir o céu. Parece ser uma mistura de humidade com fumo, pois, embora não havendo notícia de fogos nas proximidades da aldeia, a Capinha, é notório um marcante odor a queimado.

Não sei bem se, por virtude desta neblina híbrida e do cheiro a queimado ou por outra razão qualquer, foi possível observar, quase à mesma hora, dois fenómenos da natureza que parecem inusitados: uma enorme concentração de andorinhas e outra de cegonhas.



A Rua do Espírito Santo, na Capinha, foi o sítio escolhido pelas andorinhas. Em todos os fios e antenas que lhes podem servir de poiso, os espaços estão milimetricamente ocupados por centenas, talvez milhares dessas graciosas aves, que comunicam entre si através de constantes e estridentes chilreios.



Postadas nos fios, parecem ter receio de levantar voo para não perderem o lugar. Por vezes, esticam uma asita, depois a outra, alisam as penas com os bicos e esticam a cabeça, como que a espreguiçar-se.



 As mais atrevidas lá ensaiam um voo breve, a fazer o teste de que tudo está pronto para a grande viagem da migração anual para outras paragens. Mas quando voltam, o seu lugar já está ocupado e retomam o voo para ir procurar um outro poiso um pouco mais longe.

Num outro lugar, não muito distante, nos limites da Capinha com os Vales, está, quase ao mesmo tempo, a formar-se uma grande concentração de cegonhas.


Estas preferem as copas redondas e verdes das árvores, onde se podem ver poisadas, destacadas pelo seu porte altivo e pelas suas cores preta e branca.


O seu auto-teste de aptidão é feito em voos mais demorados, subindo em espiral até uma altura considerável e esvoaçando depois em círculos com leve perda de altura até voltarem novamente a poisar.


 Esperava que libertassem os sons característicos do matraquear dos seus bicos. Mas é enorme o silêncio para um tão elevado número de cegonhas.

Terão estas concentrações a ver com os fogos? Com a neblina híbrida de fumo e humidade? Com o odor a queimado que paira no ar? Com o intenso calor, que toda a gente considera anormal? Ou estará em causa apenas o cumprir do calendário da natureza que determina que, em certo momento, estas aves têm de emigrar para outras paragens? Quem lhes fixou a data, a hora e o local da concentração? Quem é que, afinal, disse “andorinhas e cegonhas, toca a reunir?"

Gostava de poder dar resposta cabal a estas questões.

(Nota: As fotos das cegonhas foram tiradas por Sebastien Poupier)

4 comentários:

Billy disse...

Gostei muito do relato e das fotografias. Fiquei de boca aberta com as duas concentracoes!

Bau disse...

Que concentrações espectaculares! E o relato também... as fotografias são não só espectaculares como uma ternura. Obrigada PT!

Antonio disse...

As saúdades destas que trazem estas fotos...

Antonio disse...

algumas imagens de capinha por aqui

http://www.youtube.com/results?search_query=amax2006